Review: 12 Monkeys

27 de jan de 2016

Esse ano eu decidi conhecer novas séries, já que as minhas estavam, em sua maioria, todas em hiatus... Comecei a assistir 12 Monkeys por indicação do meu professor de Biologia e só tenho a dizer que é uma série ESPETACULAR!

A trama da série é inspirada no filme homônimo de 1995: 12 Monkeys com Bruce Willis. A série foi a nova aposta do canal SyFy em sua empreitada de resgaste ao gênero que um dia o fez famoso. Usando do mesmo ponto de partida do filme, a série conta a história de James Cole (Aaron Stanford), que no ano de 2043, é enviado até o passado (2015) com uma missão específica: dar fim a um vírus mortal que, em 2017, se espalhou pela Terra e dizimou a maioria absoluta da população. Os poucos sobreviventes dividem-se em dois grupos: alguns vivem no subterrâneo ou escondidos, tentando encontrar uma cura e buscando formas de sobreviver. Os imunes ao vírus (os chamados proscritos) se tornaram saqueadores e, por meio de forças e saques, também buscam sobreviver naquele cenário apocalíptico.

Eu sei que viagem no tempo não é novidade na ficção, roteiros não lineares também, futuro apocalíptico menos ainda, mas ainda assim, 12 Monkeys tem um ar de inovação. Tem drama, humor, suspense, romance, tudo envolto por uma ideia genial de um francês, que os americanos souberam reconstruir com certa maestria.

Cole costumava ser um desses proscritos, pertencente a um grupo chamado West 7, mas ganhar a chance de redenção ao aceitar fazer parte do experimento da Dra. Katarina Jones (Barbara Sukowa) de ser enviado até o passado para evitar a praga. Nos dias atuais, Cole procura a ajuda da Dra Cassandra Raily (Amanda Schull), uma famosa virologista que pode ajudá-lo em sua missão.

Desde o episódio Piloto, fica bem claro que a missão é muito mais complexa do que imaginamos. Afinal, como acabar com a praga? Nosso primeiro pensamento é destruir os responsáveis antes de criarem vírus. Cole faz exatamente isso, mata logo de cara o cientista que ele acreditava ser o principal responsável pela praga, porém nada se altera no futuro, já dá pra ter uma amostra que a série vai usar e abusar de viagens temporais e paradoxos.

No meio disso tudo, a relação que ele constrói com Cassie é linda! A construção da personagem da Dra Raily é excelente. Ao invés de cair em um ceticismo, Cassie já acredita em Cole a partir do momento em que o vê desaparecer diante de seus olhos e reaparecer do mesmo jeito dois anos depois, provando o que disse sobre ser um viajante do tempo.

O episódio piloto é incrível, e logo já nos prende! O episódio começa com uma série de perguntas retóricas de Cole, ao som de “These Arms of Mine”. Não me contive e tive que transcrevê-las. Ver vídeo

"Onde você está agora? Em algum lugar quente, seguro, perto de alguém que você ama. E se tudo isso sumisse… E a única coisa a fazer fosse sobreviver? Você sobreviveria, não é? Você tentaria? Faria coisas, coisas horríveis… Até perder a última coisa que te sobrou… Você mesmo. Mas, se você pudesse recuperar… Tudo? Um botão de reiniciar. Você o apertaria, não é? Precisaria apertar.”

Está claro para quem são essas questões? O espectador? James Cole, falando para si mesmo, a partir de remorsos e arrependimentos? Ou outro personagem ainda não identificado? Elas são apenas perguntas? Essas perguntas me transmitiram um sentimento profundo, me dando uma aparência de peso emocional, como se estivesse refletindo sobre a ambiguidade moral e existencial da tarefa do protagonista.

Em apenas um minuto de série, surgiram tantas possibilidades, conspirações e suposições e isto era exatamente o que Terry Matalas e Travis Fickett (roteiristas) esperavam conseguir: confundir as nossas cabeças. Essa introdução singela sem muito alarde foi simplesmente fenomenal, pois como eu sempre digo, “menos é mais”.

Encerro minha review, reafirmando a minha satisfação com este Sci-Fi – uma série mais apelativa para o cérebro do que para os sentidos e espero que mantenha este mesmo ritmo até o final e que, venham novas temporadas. Estou ansiosa demais esperando um desfecho haha E vocês, vão dar uma chance para série? Já assistiram? Me contem o que acharam nos comentários!

2 comentários:
  1. Faz tempo que estou de olho nessa série no NetFlix, depois da sua ótima resenha, com certeza irei dar chance a essa série! *---* Um grande beijo!

    www.sweet-surrender.hol.es

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Giovana! Tomara que dê mesmo haha <3
      Beijos

      Excluir

 
Todos os direitos reservados © - Tecnologia do Blogger Layout e desenvolvimento por Carla Vieira · Ilustração por Laura Melo