A Grana - Cynthia D'Aprix Sweeney

13 de jan de 2017

A Grana
Cynthia D'Aprix Sweeney
Intrínseca, 2016
336 páginas

Leo Plumb estava bêbado e drogado quando fugiu sorrateiramente da festa de casamento do primo, levando uma das garçonetes. No calor do momento, os dois sofrem um acidente de carro com graves consequências. Leo precisou usar o dinheiro de uma conta da família, o pé-de-meia que garantiria o futuro dos irmãos Plumb. Ansiosos para receberem sua parte e horrorizados ao descobrirem que a mãe permitiu que Leo torrasse aquela grana, eles marcam um encontro para deliberar quando e como o dinheiro será restituído. Os irmãos terão que superar antigos ressentimentos e as escolhas erradas que fizeram na vida.


Comecei a ler A Grana apaixonada pela capa do livro, pela edição fantástica, personagens bacanas, mas acabei me decepcionando por um enredo tão confuso...

A Grana é um drama familiar sobre a família Plumb, uma família que já foi muito rica, porém faliram e ainda se ressentem por não serem do jeito que eram antes. E, com o passar dos anos, a situação financeira da família não teve grandes mudanças, apesar de Leo Plumb (pai) ter feito muito sucesso no mercado de plásticos absorventes.

Então, após o nascimento de seus quatro filhos: Leo, Beatrice, Jack e Melody. Leo (pai) resolveu criar um fundo financeiro (o chamado pé-de-meia) que garantiria o futuro dos irmãos Plumb. No entanto, o dinheiro só poderia ser retirado assim que a caçula (Melody) fizesse exatos 40 anos. A única pessoa autorizada a fazer retiradas de emergência era a mãe deles.

Até o dia em que Leo Plumb, o irmão mais velho, casado, irresponsável, sofre um acidente bêbado e drogado e precisa indenizar a garçonete de uma festa onde ele estava antes de saírem juntos. A questão é: Leo tinha dinheiro para indenizar a moça? Não, então sua mãe achou mais conveniente usar o dinheiro do Pé-de-Meia como um empréstimo, afinal era uma emergência e eles não poderiam se envolver em escândalos.

Em seguida Leo foi internado numa clínica de reabilitação e quando saiu precisava lidar com seus irmãos, que ansiosos para receberem sua parte e horrorizados ao descobrirem que a mãe permitiu que Leo torrasse aquela grana, marcaram um encontro para deliberar quando e como o dinheiro seria restituído. O problema é que Leo estava falido, sem emprego e nem sequer tinha onde morar. Aí que começava o episódio digno de Casos de Família.

Reunidos novamente, como nunca estiveram, os irmãos terão que superar antigos ressentimentos e as escolhas erradas que fizeram na vida. Uma análise inteligente e afetuosa de como a expectativa desempenha um papel central em nossas vidas, A grana tem o ingrediente mais explosivo de qualquer boa briga de família: dinheiro.

Minhas impressões

O Leo é o personagem central do livro, só que além dos irmãos e da mãe que também tem seus pontos de vista mostrados pela autora, têm os pontos de vista das pessoas que de alguma forma estão interligadas ao Leo. A partir daí é que o enredo fica confuso, a gente lê a perspectiva de uma personagem só porque ela apareceu em uma cena anterior e isso vai quebrando a história em vários pedaços que acabam ficando desconexos.

Confesso que achei um pouco desnecessário, porque de certa forma os protagonistas da história, os Plumb, perdem o espaço central. Porém, o livro também possuis seus aspectos positivos, foi interessante acompanhar como essa tragédia, mesmo que de uma forma ruim, uniu os irmãos e deu um novo início de vida a Leo.

Apesar de ser uma leitura interessante, não leria novamente, já que não entendi muito bem o propósito do livro... Se derem uma chance, me contem se têm a mesma opinião!

 
Todos os direitos reservados © - Tecnologia do Blogger Layout e desenvolvimento por Carla Vieira · Ilustração por Laura Melo